Páginas


Luisão - Vinte Títulos! (and counting...)

Se todas as batalhas da

"SE TODAS AS BATALHAS DA HUMANIDADE SE TRAVASSEM APENAS NOS CAMPOS DE FUTEBOL, QUÃO BELAS SERIAM AS GUERRAS!" (Augusto Branco)

quarta-feira, 23 de maio de 2018

GENTE FINA É OUTRA COISA





O que tem acontecido no Sporting nos últimos tempos é chato. Por últimos tempos, refiro-me às últimas décadas. O que está a acontecer agora é o culminar de um caminho muito errado, há muito tempo trilhado. Mas já lá vamos.

Nota prévia
Quem costuma passar por aqui sabe que perco pouco tempo a falar dos outros. Criei este espaço para partilharmos ideias sobre o presente e o futuro do Benfica, é isso que me interessa e acho que é muito mais bonito. Mas o momento actual do Sporting justifica uma excepção. Mais do que esmiuçar os acontecimentos das últimas semanas, proponho uma abordagem mais global, passando por vários tópicos que me parecem ter contribuído para o caos instalado no clube que reelegeu Bruno de Carvalho com 90% dos votos.

No Longo Prazo
Numa perspectiva histórica, podemos constatar que a Democracia e a Liberdade não têm sido boas companheiras do clube dos viscondes. Não é por acaso que dos 18 títulos de campeão nacional de futebol, o Sporting conquistou 14 em 40 anos, durante o Estado Novo, e apenas 4 nos 44 anos após o 25 de Abril. 

O Antes... 
Enquanto contou com a protecção do antigo regime - bem evidente na promiscuidade entre dirigentes do clube do Lumiar e do governo de Salazar - o Sporting ganhou um campeonato a cada três anos, em média. Teve o seu período áureo na segunda metade da década de 40 e primeira metade da década de 50, conquistando sete campeonatos em oito possíveis. Foi o tempo dos cinco violinos. Em 1959, o Sporting tem dez campeonatos e o Benfica nove. 

...e o Depois
Em meados dos anos 50, o Benfica modernizou-se e cresceu imenso, impulsionado pela dupla Ferreira Bogalho/Otto Glória. Foram lançadas as bases para a nossa primeira Era Dourada. (A segunda vem aí!). No ano da graça de 1960, assistimos à chegada do Rei Eusébio! O Benfica Bicampeão Europeu, com 14 campeonatos contra 4 do Sporting nas décadas de 60 e 70, nunca mais seria alcançado!

Em Democracia, a média do Sporting baixa para um campeonato a cada onze anos. Com tendência para piorar, pois nos últimos trinta e seis anos apenas por duas vezes festejou o título maior do futebol português!

Ora, confiram:
1934/35 Porto
1935/36 BENFICA
1936/37 BENFICA
1937/38 BENFICA
1938/39 Porto

1939/40 Porto
1940/41 Sporting
1941/42 BENFICA
1942/43 BENFICA
1943/44 Sporting
1944/45 BENFICA
1945/46 Belenenses
1946/47 Sporting
1947/48 Sporting
1948/49 Sporting

1949/50 BENFICA 
1950/51 Sporting
1951/52 Sporting
1952/53 Sporting
1953/54 Sporting
1954/55 BENFICA
1955/56 Porto
1956/57 BENFICA
1957/58 Sporting
1958/59 Porto

1959/60 BENFICA
1960/61 BENFICA
1961/62 Sporting
1962/63 BENFICA
1963/64 BENFICA
1964/65 BENFICA
1965/66 Sporting
1966/67 BENFICA
1967/68 BENFICA
1968/69 BENFICA

1969/70 Sporting
1970/71 BENFICA
1971/72 BENFICA
1972/73 BENFICA
1973/74 Sporting
1974/75 BENFICA
1975/76 BENFICA
1976/77 BENFICA
1977/78 Porto
1978/79 Porto

1979/80 Sporting
1980/81 BENFICA
1981/82 Sporting
1982/83 BENFICA
1983/84 BENFICA
1984/85 Porto
1985/86 Porto
1986/87 BENFICA
1987/88 Porto
1988/89 BENFICA

1989/90 Porto
1990/91 BENFICA
1991/92 Porto
1992/93 Porto
1993/94 BENFICA
1994/95 Porto
1995/96 Porto
1996/97 Porto
1997/98 Porto
1998/99 Porto

1999/00 Sporting
2000/01 Boavista
2001/02 Sporting
2002/03 Porto
2003/04 Porto
2004/05 BENFICA
2005/06 Porto
2006/07 Porto
2007/08 Porto
2008/09 Porto

2009/10 BENFICA
2010/11 Porto
2011/12 Porto
2012/13 Porto
2013/14 BENFICA
2014/15 BENFICA
2015/16 BENFICA
2016/17 BENFICA
2017/18 Porto
2018/19


SPORTING CLUBE DE PORTUGAL - UMA HISTÓRIA DE INVEJA E FACÇÕES

TRÊS MOMENTOS MARCANTES:

A Inveja no ADN
Fundado em 1906 por José Alfredo Holtreman Roquette, neto do visconde de Alvalade, desde cedo o Sporting manifestou enorme cobiça pelo mais querido e popular clube lisboeta, o então Sport Lisboa. Em 1907 aliciou oito jogadores dos encarnados, graças às suas instalações, cujo balneário tinha água quente e tudo! Estava dado o mote. Seguiram-se outras contratações para enfraquecer o rival, valendo-se da abundância de dinheiro na alta sociedade da capital - a génese do Sporting - e da sua escassez junto dos abnegados, mas modestos benfiquistas. A dada altura, Cosme Damião terá preconizado: "No imediato, o dinheiro vence a dedicação. No futuro, a dedicação goleia o dinheiro."

Um Trauma Chamado Eusébio
Foi muitas vezes repetida a mentira de que o Benfica teria "desviado" o Pantera Negra de Alvalade. É falso! O Sporting vacilou e o Benfica acertou. O Eusébio saiu de Moçambique para vir jogar no Benfica. O resto... é história! A mania de culparem o Benfica pelos seus falhanços vem de longe.

O Tiro Pela Culatra
No Verão quente de 93, o presidente leonino, um chico-esperto de nome Sousa Cintra, achou por bem recrutar Paulo Sousa e Pacheco, em litígio com o Benfica, convencido que estaria a aplicar um golpe fatal no eterno rival. Não só ganhámos com estrondo esse campeonato (6-3 em Alvalade), como mais tarde o Sporting teve de indemnizar o Benfica por causa dessas duas contratações à má-fila.


A CULTURA DO CLUBE E A PSICOLOGIA DO LAGARTO:

"A inveja é filha do orgulho, autora do homicídio e da vingança, o início das sedições secretas, a perpétua atormentadora da virtude. A inveja é a imunda lama da alma; um veneno, um azougue que consome a carne e seca a medula dos ossos.” – Sócrates, o filósofo.

O típico sportinguista - não a pessoa em si, note-se, mas o adepto enquanto tal, enquanto expressão da "cultura" do clube -  é invejoso, fanfarrão e incompetente.

A Inveja
O sentimento dominante dos sportinguistas em relação ao Benfica é a inveja, ainda que não assumida. Na verdade, a inveja pelo Maior de Portugal é a única coisa que os une. “A inveja é a homenagem que a inferioridade tributa ao mérito.” (Puiseux). 

A Fanfarronice
Apesar de sobrarem três dedos de uma mão para contarmos o número de campeonatos ganhos pelo Sporting nos últimos trinta e seis anos (!), não há mês de Agosto em que o adepto sportinguista não considere a sua equipa a principal candidata a vencer o campeonato. Bastam duas vitórias consecutivas para que o sportinguista entre numa euforia desmedida e comece a inchar, a inchar, a inchar...

A Incompetência
Há várias décadas que a massa associativa do Sporting não consegue escolher um bom presidente para dirigir o clube. Seja pela falta de qualidade das opções, seja pela obsessão anti-Benfica que lhes tolda o juízo, as escolhas têm alternado entre betos inconsequentes e charlatães oportunistas. Desesperados com tanta incompetência na gestão e enjoados de "croquetes", tornaram-se presa fácil para a demagogia do grunho tresloucado, que fez do clube a sua coutada.

Os Notáveis e as Facções
O Sporting tem muitos "notáveis". Segundo percebo, para ser considerado "notável", é conveniente que o sócio seja um beto enfezado e tenha um nome com muitos apelidos, de preferência alguns de origem estrangeira. Um CV com passagens pelo Governo ou pela alta finança também ajuda. Como é gente muito especial, organizam-se em grupos, grupinhos e grupelhos, para não se misturarem com a plebe. Passam mais tempo a conspirar uns contra os outros do que a fazer algo útil pelo clube. Mas é gente de bem. Ou só benzoca.

Em contraponto, no Benfica, notáveis somos nós todos. Se tivesse mesmo que referir algum notável benfiquista, assim de repente, ocorre-me o Barbas. Ou então o taxista, só para embirrar. (Um abraço para eles!)

A sociologia e a patologia
Enquanto sociedade, a massa adepta sportinguista padece de uma cisão tramada e de uma obsessão asfixiante. O principal sintoma destas patologias é a inversão das prioridades. Em primeiro lugar, vem a inveja pelo Benfica. Depois, vem o ódio que sentem uns pelos outros, os croquetes e os populares, como eles dizem. Em terceiro... vem o Sporting.

O espelho de aumentar
Não fora o Sporting um clube sediado na capital e com tanta gente em lugares influentes, (comunicação social, banca e política) e teria a relevância mediática adequada à sua relevância desportiva. Ou seja, a mesma de um Braga ou de um Boavista. Bem vistas as coisas, o Braga também luta pelo 3º lugar e o Boavista só ganhou menos um campeonato que a lagartagem nos últimos trinta e seis anos.

O hediondo Bruno de Carvalho. Agora aturem-no!
Por nojo e por ser desnecessário, dispenso-me de citar exemplos que demonstram a grunhice desta personagem, evidente desde a primeira hora em que assumiu funções. Recordo apenas que foi eleito há cinco anos, reeleito há pouco mais de um ano com 87% dos votos, e reconfirmado há cerca de três meses com 90% de aprovação. Aquando do ultimato para a mudança de estatutos, bastava que 25,01% dos votantes estivessem contra para se verem livres dele. Pois bem, a esmagadora maioria dos sócios nem se deu ao trabalho de lá ir. Esses têm o que merecem. Apenas 6 mil se dirigiram às urnas, dos quais 90% votaram a favor da permanência do grunho. Esses têm exactamente o que pediram. Restam quantos, 500 "verdadeiros sportinguistas"? Não se queixem, têm o que merecem. 

Só tenho pena dos jogadores. Espero que consigam sair por justa causa.

O Sporting e o futuro
A cada dia que passa, ouvimos dizer que o Sporting bateu no fundo. Mas todos os dias o fundo cai mais fundo. O que vale é que, sendo um clube de gente fina, já se perfilam os novos/velhos salvadores. Têm a palavra os impolutos Álvaro Sobrinho e José Maria Ricciardi...


8 comentários:

  1. É mais ou menos isso...mas o que me preocupa agora são as ramificações do novo desporto dos lagartos...o Cash Ball!!
    Será que é uma modalidade em que sózinhos colecionam titulos e trofeus?
    ou jogam com o parceirodo crime organizado, os verdadeiros especialistas?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esses são mais difíceis de apanhar. O cahsball é para meninos, eles jogam dragon ball.

      Eliminar
  2. Que chato, hem! Foram só 4 títulos em 44 anos, no pós 25 de Abril? Realmente, sempre é bom recorrer às estatísticas para reavivar a memória porque, de tanto ouvir e ler as fanfarronices desses sportinguistas (e também sportingados), quase que me enganaram! Eu era capaz de jurar que estávamos atrás deles em tudo. Mas eu realmente fico confuso com o Sporting. Ouço tanto falar na saúde financeira deles e etc., mas ontem, com a bomba atómica na cabeça do seu presidente (pior do que o terrorismo em Alcochete!), ficamos a saber que sem o tal empréstimo obrigacionista para pagar outro empréstimo obrigacionista vai faltar dinheiro para alimentar a tesouraria. Isto realmente é chato, mas amanhã é outro dia...
    Olha, Miguel, muito bom o teu artigo. Diria que foi uma abordagem cirúrgica à identidade dos nossos vizinhos da 2ª circular. Quem sabe eles abram os olhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é, Monte! A fanfarronice é tanta e o controlo sobre os media é tão eficaz que o pessoal nem se dá conta da miséria de títulos do Sporting no pós 25 de Abril.

      Quanto à saúde financeira, ontem na conferência de imprensa ainda fiquei à espera que algum jornaleiro colocasse essa questão que tu levantas aqui, mas qual quê! Ainda o Grunho dava ordem de ataque à milícia de Alcochete...

      Não me parece que este meu exercício (obrigado pelo elogio!) surta qualquer efeito na lagartagem. Desde logo, porque nem sequer passam por aqui. E depois, porque o pior cego é o que não quer ver.

      Eliminar
  3. Pois, é incrível! O BdC fala em problemas de tesouraria e ninguém é capaz de fazer uma pergunta sobre o assunto. Mas enfim, problema deles. O que eu sei é que os sportinguistas andaram todos contentes com os ataques ao Benfica que se esquecerem de olhar para dentro da própria casa. O homem era o maior! Agora parece que está maluco... amanhã vão a novas eleições e queres ver que ele ganha de novo! Realmente, coitados dos sportinguistas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nunca o provérbio "quem semeia ventos colhe tempestades" foi tão bem aplicado. Eu não tenho pena nenhuma deles, têm exactamente aquilo que pediram! (Excepto os jogadores, coitados)

      Eliminar

Partilha aqui a tua opinião