Páginas


Luisão - Vinte Títulos! (and counting...)

Se todas as batalhas da

"SE TODAS AS BATALHAS DA HUMANIDADE SE TRAVASSEM APENAS NOS CAMPOS DE FUTEBOL, QUÃO BELAS SERIAM AS GUERRAS!" (Augusto Branco)

domingo, 5 de março de 2017

BOA LUTA NA FEIRA




Jogo difícil como se esperava, preciosa vitória como se desejava. 

Conseguimos os três pontos com muita luta, concentração e entreajuda. A forte oposição do Feirense, exercendo muita pressão ao portador da bola, não nos permitiu desenvolver aquele futebol fluído, de passes sucessivos em busca do melhor caminho para a baliza adversária, como é nosso apanágio. Não raras vezes foi necessário recorrermos ao jogo directo, originando muitas perdas de bola. 

Para além de dificultar a nossa a acção, o Feirense conseguiu chegar muitas vezes à nossa área e criar algumas oportunidades. Mas nós criámos mais e melhores. Estranhamente, o Mitro não marcou. Felizmente, o Pizzi desequilibrou. Não só pelo golo, mas também pelo trabalho defensivo e pela forma como pegou no jogo na segunda parte, o nosso 21 foi o homem do jogo.




Duma forma geral, gostei do desempenho dos nossos jogadores. Apreciei sobretudo o empenho de todos do primeiro ao último minuto. Mas o Salvio irritou-me com tantas más decisões. O Zivko teve algumas dificuldades na zona central, melhorou nas alas. Gostava que experimentássemos a dupla Raúl/Mitro de início em jogos como este e não apenas em situações de desespero. Gostei muito do jogo do Samaris, forte a recuperar e a lançar. O Carrillo trabalhou bem, roubou bolas, deu soluções em posse e assistiu. Parece estabilizar num nível já aceitável, mas ainda vai dar mais. A defesa teve muito trabalho e, apesar de algumas dificuldades, sobrepôs-se aos adversários. O Ederson voltou a ser determinante. Era tão bom que mantivéssemos esta Parede Rematadora na nossa baliza por muitos anos! O Cervi entrou muito bem, o Jonas ajudou a pausar o jogo e a termos bola no meio campo adversário.

Foi mais uma vitória com a matriz do Benfica 2016/2017: Humildade e respeito pelo adversário. Enorme entrega, concentração e entreajuda. Solidez colectiva e aproveitamento das qualidades individuais. Percepção do contexto de cada jogo, determinação e pragmatismo.

Agora já só pensamos na Liga dos Campeões! Será um jogo muito diferente. Diferente deste com o Feirense, obviamente, e diferente do jogo da primeira mão. Na Luz, a prioridade era não sofrermos nenhum golo. Na Alemanha, a prioridade será marcarmos.



Sem comentários:

Enviar um comentário

Partilha aqui a tua opinião