Páginas


Luisão - Vinte Títulos! (and counting...)

Se todas as batalhas da

"SE TODAS AS BATALHAS DA HUMANIDADE SE TRAVASSEM APENAS NOS CAMPOS DE FUTEBOL, QUÃO BELAS SERIAM AS GUERRAS!" (Augusto Branco)

quarta-feira, 24 de maio de 2017

O CAMPEONATO ESTÁ ARRUMADO. AGORA TEMOS DE LIMPAR A TAÇA.




É assim a lida doméstica de um adepto Benfiquista nos tempos modernos. O ano passado por esta altura tínhamos acabado de conquistar o Tri e já nos preparávamos para somar a sétima Taça da Liga. Agora, ainda zonzos com os piões do Eliseu nos festejos do Tetra, temos de apontar baterias ao Jamor onde tentaremos ajudar o Capitão Luisão a levantar mais uma taça.

Teremos oportunidade de fazer saborosos balanços do campeonato no longo defeso que se avizinha. O foco agora é a final da Taça de Portugal e o desejo de mais uma conquista. Ninguém espera que o Vitória de Guimarães se apresente tão frágil como nos pareceu no último jogo na Luz. Mas podemos desejar um Benfica igualmente determinado e inspirado na busca da 26ª (ou 29ª) Taça de Portugal. A sede de conquista da família benfiquista é partilhada pelos jogadores que, quando perguntados pelo ataque ao Penta, foram respondendo que o próximo objectivo era ganhar no Jamor. O pragmatismo e a ambição têm sido factores determinantes no nosso sucesso. Foi bom que os festejos do Tetra se tivessem concentrado na semana passada, com o jogo do Bessa pelo meio, de forma a que a semana em curso seja totalmente dedicada a preparar o embate com o Vitória.

No último exercício especulativo desta temporada sobre o Onze a ser apresentado pelo Glorioso, confesso que tenho uma dúvida logo para a primeira posição. Deverá jogar o Júlio César, por uma questão de "justiça moral", ou deverá jogar o Ederson, porque efectivamente dá mais garantias? 

A gestão de expectativas num grupo de trabalho não é uma questão de somenos. A tão apregoada (e bem) união do grupo, em que todos se sentem importantes, tem sido uma das chaves da liderança do mister Rui Vitória. Ao mesmo tempo, numa perspectiva mais imediatista, fará mais sentido utilizarmos os melhores jogadores disponíveis. E então, quem metemos na baliza, Ederson ou Júlio?
Na defesa, não há que enganar: Nelson, Luisão, Lindelof e Grimaldo.
No meio, Fejsa e Pizzi, pois claro.
Nas alas, Salvio e Cervi talvez sejam os que estão em melhor forma física e anímica neste momento. 
Na frente, Jonas e Raúl.

Graças à minha assiduidade nos jogos em casa e à paciência de quem passou quatro horas na fila, terei oportunidade de voltar ao Jamor, onde conto por vitórias todas as presenças - três, até agora. Oxalá nesta minha contabilidade pessoal, também possa ser Tetra!



A estreia do video-árbitro
Será um jogo histórico pela estreia do tão ansiado video-árbitro. A minha expectativa em relação a esta ferramenta é moderada. Certamente permitirá corrigir erros grosseiros. Mas desengane-se quem pensa que vai acabar com as polémicas e os queixumes. Os lances que actualmente são discutidos semanas a fio, mesmo após dezenas de repetições, continuarão a ser discutidos semanas a fio. Há dois outros aspectos que me causam algumas reservas. Um, já muito falado, é o tempo de interrupção para análise e discussão dos lances entre o árbitro principal e os video-árbitros. Teremos de ter alguma paciência nos primeiros tempos.

Outro aspecto, que só com o tempo poderemos aferir, está relacionado com a tendência que os fiscais-de-linha (assim mesmo, à moda antiga) terão para deixar passar foras-de-jogo. Sabem que se for golo, este será anulado em caso de irregularidade. Então e se não der golo?! Se houver uma segunda vaga de ataque em que a equipa atacante acaba por beneficiar duma primeira jogada em off-side que devia ter sido anulada? E se os defesas tiverem de correr para trás para resolver uma situação que nem devia existir? Temo que a mais que provável tendência para deixar passar lances de fora-de-jogo prejudique as equipas que defendem alto e beneficie as que usam "autocarro". A consequência de deixar passar foras-de-jogo pode prejudicar a verdade desportiva de forma irreparável, mesmo nos lances que não resultem em golo.

Mas deixemos para depois de alguns jogos uma apreciação mais abalizada à eficácia do video-árbitro. Agora o que interessa é ver se conseguimos a dobradinha!


Sem comentários:

Enviar um comentário

Partilha aqui a tua opinião