Páginas


Luisão - Vinte Títulos! (and counting...)

Se todas as batalhas da

"SE TODAS AS BATALHAS DA HUMANIDADE SE TRAVASSEM APENAS NOS CAMPOS DE FUTEBOL, QUÃO BELAS SERIAM AS GUERRAS!" (Augusto Branco)

domingo, 6 de agosto de 2017

Quando é a sério, é a sério!
























Entrada fulminante do Tetracampeão na época 2017/2018! Os Dez Minutos à Benfica renderam dois golos marcados. Os Trinta Minutos à Benfica podiam ter rendido mais dois ou três! Depois, um grande Vitória reagiu e reduziu. Por fim, com inteligência e talento, selámos a conquista da sétima Supertaça.

Já vamos ao jogo. Antes, assinalemos esse feito histórico do Capitão Luisão ao tornar-se o jogador mais titulado da Gloriosa História do Sport Lisboa e Benfica, com vinte títulos! E não há-de parar por aqui. Este record é batido menos de três meses depois de termos alcançado o Inédito Tetra. Não é por acaso. Estamos efectivamente a atravessar uma  era dourada na vida do Benfica!



LUISÃO, o ENORME CAPITÃO - Esqueçam por momentos a sua idade. Vejam o posicionamento e a leitura de jogo. Vejam a quantidade de vezes que os ataques adversários não chegam a ser perigosos porque ele percebe antes de todos o que vai acontecer. Vejam a forma com tem evoluído no domínio da bola e do passe. Vejam como impõe a sua lei no jogo aéreo. Lento? Nunca foi veloz, mas a rapidez está na mente. 
Agora sim, vejam a sua experiência. Respeitem a sua autoridade. 
Venerem a LENDA!





Voltemos ao Benfica 3 - Vitória de Guimarães 1. Algumas notas, pela positiva:
- Criação de muitos lances perigosos graças à rapidez na recuperação de bola feita em zonas altas;
- Golo do Seferovic na sua estreia oficial (tal como o Cervi o ano passado também na Supertaça), grande trabalho na pressão e no jogo combinativo;
- Acção do Pizzi nos três golos. Cruzamento no primeiro, do Jonas. Assistências para o Seferovic e para o Raúl nos limites da perfeição, no segundo e no terceiro;
- Aumento da consistência no meio-campo com a entrada do Filipe Augusto e passagem do Pizzi para a direita;
- Aumento da segurança defensiva com a entrada do Eliseu;
- Sublime execução do Raúl no terceiro golo,
- Trabalho incansável do Cervi em todo o jogo.

Pela negativa:
- Desperdício de várias oportunidades claras, podíamos ter resolvido mais cedo;
- Incapacidade de manter durante mais tempo o ritmo elevado (aceitável no primeiro jogo oficial);
- Dificuldade em controlar o jogo com posse de bola, numa segunda fase da partida, em ritmo mais baixo;
- Mais sinais de que não temos em Varela o guarda-redes que precisamos;
- Se no campo os nossos jogadores se superiorizaram aos adversários, já nas bancadas voltámos a ser goleados pelos adeptos vimaranenses.


Fica o resumo e algumas imagens:











E também estas com pouca qualidade, mas tiradas por mim...


É graças a cidades como Aveiro que Portugal é o melhor país do mundo!































Quarta-feira é encher a Luz e apoiar os Tetra rumo ao Penta!


Sem comentários:

Enviar um comentário

Partilha aqui a tua opinião