Páginas


Luisão - Vinte Títulos! (and counting...)

Se todas as batalhas da

"SE TODAS AS BATALHAS DA HUMANIDADE SE TRAVASSEM APENAS NOS CAMPOS DE FUTEBOL, QUÃO BELAS SERIAM AS GUERRAS!" (Augusto Branco)

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Tardámos, mas arrecadámos!


















A alegria pela vitória alcançada no fim é proporcional ao sofrimento causado pela espera. Acreditámos e apoiámos sempre e no fim tivemos direito a um...chocolate suíço. Ganhámos e ganhámos bem! Sem ajudas do árbitro, antes pelo contrário, e video-árbitro nem vê-lo. Sorte? De modo algum, se não tivéssemos ganho é que tinha sido um grande azar. O Chaves conseguiu equilibrar a contenda na primeira parte, mas as melhores ocasiões foram nossas. Na segunda, remeteram-se à defesa e a tentativas de contra-ataque. Os valentes transmontanos resistiram enquanto puderam, mas não podiam resistir sempre. 

O desgaste provocado pela máquina benfiquista é tremendo e, com o tempo, foi abrindo brechas. As oportunidades de golo sucediam-se. Ora Nuno André Coelho, ora o guarda-redes Ricardo, ora o poste da baliza foram adiando o inevitável. Aos 92', golo de antologia: o Pizzi faz um lançamento magnífico desde a linha do meio campo a explorar a profundidade do Rafa. Talvez só o pequeno barbudo fosse capaz de chegar àquela bola e definir a assistência como definiu. Ao primeiro poste, o Seferovic com a precisão de um relógio suíço finaliza na perfeição, de pé direito!, fazendo a bola passar entre as pernas do guarda-redes.

O meu destaque neste jogo vai para o colectivo, e sobretudo, para a forma como a equipa manteve a calma e a organização até ao fim. Isto é atributo de equipa mesmo grande: acreditar no processo e confiar no seu valor. Acresce a nosso favor a experiência e a maturidade dum Onze inicial com trinta e dois campeonatos conquistados pelo Benfica. Nota-se esta experiência em pormenores, como a forma como os nossos jogadores evitaram fazer faltas ofensivas, mesmo na fase final de ataque à baliza do Chaves.



E pronto! Nós já passámos, para lá do Marão. Será que os outros passarão?


Eu estou ali! Eu estou ali!



Sem comentários:

Enviar um comentário

Partilha aqui a tua opinião