Páginas


Luisão - Vinte Títulos! (and counting...)

Se todas as batalhas da

"SE TODAS AS BATALHAS DA HUMANIDADE SE TRAVASSEM APENAS NOS CAMPOS DE FUTEBOL, QUÃO BELAS SERIAM AS GUERRAS!" (Augusto Branco)

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

BOM COMPORTAMENTO





















Não foi a derrota de ontem que nos tirou quase definitivamente dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões. Foram as derrotas nas duas primeiras jornadas, que antecediam o duplo confronto com o Manchester United, que tornaram quase impossível o feito de conseguirmos esse apuramento pelo terceiro ano consecutivo. A vitória do Basileia na Rússia liquidou a esperança que ainda podíamos acalentar. Se russos e suíços empatassem os dois jogos entre si, até podíamos conseguir o apuramento perdendo os dois jogos com o Man.Utd., somando seis pontos nas duas últimas jornadas...

Posto isto, resta-nos agora fazer o possível para deixarmos melhor imagem ganhando na Rússia e em casa ao Basileia e, quem sabe, conseguir ainda o apuramento para a Liga Europa.

Nunca uma derrota do Benfica me causará outro sentimento que não tristeza ou frustração. Mesmo contra equipas teoricamente mais fortes e efectivamente mais ricas. Não obstante, retiro do jogo de ontem alguns aspectos positivos que nos deverão servir de base para o futuro imediato. Desde logo, a postura geral da equipa em termos de concentração, rigor e entrega. Irrepreensível! 

Jogámos em 4-1-4-1 com um bloco compacto, como se exigia. Conseguimos bloquear quase todos os caminhos para a nossa baliza e concedemos pouquíssimas oportunidades claras ao melhor Manchester dos últimos anos. Certo que eles também não arriscaram muito, o empate servia-lhes bem. O preço a pagar por esta concentração defensiva foi a pouca acutilância ofensiva. Apenas em jogo directo ou através de iniciativas individuais conseguíamos chegar lá à frente, sem causar grande perigo. O resultado mais condizente com o jogo jogado seria um empate a zeros.


RÚBEN - Já de cabeça ligada. Faz-vos lembrar alguém?

Em termos individuais, vários jogadores marcaram pontos e justificaram a aposta do mister.
O maior destaque vai para o jogo quase perfeito do Rúben Dias. Sólido, concentrado e arrojado. Temos central! Também o Diogo Gonçalves merece uma referência positiva pela irreverência e energia que meteu em todas as suas acções. O Filipe Augusto fez um grande jogo. Inteligente a ocupar os espaços, decidido nos duelos e lúcido nos passes. 


Se fosse o Baía não era golo...

O erro infantil cometido pelo Svilar apenas o tornou um guarda-redes mais forte e mais experiente. Certamente não o repetirá. Em todas as restantes situações mostrou porque é apontado como um prodígio das balizas. Esteve muito bem o mister ao assegurar desde já a titularidade do nosso Preud'homenzinho no próximo Domingo. Mais dois ou três franguitos (temos que ter paciência) e temos ali um novo KEEPER ao nível de Oblak ou Ederson.

Ainda em termos individuais, mas agora pela negativa. O Pizzi está uma sombra do jogador que é. Falha imensos passes simples e ainda por cima começa a desatinar com os colegas. Precisa urgentemente de dois ou três jogos no banco para recuperar a forma física e a humildade. O Rui Vitória tem de perceber isso, até mesmo para proteger o jogador. Este ano temos alternativas viáveis - principalmente Krovinovic, mas também Filipe Augusto ou Chrien - que precisam apenas de uma aposta continuada para comprovarem o seu valor.

Meio positivo, meio negativo - o Douglas. Consegue realmente criar desequilíbrios a atacar. O pior é que também os provoca a defender.

Agora, é essencial transportarmos esta atitude para os próximos jogos. Se assim for, certamente voltaremos a ganhar a maioria dos jogos como de costume. Nas provas nacionais não enfrentaremos monstros como o Matic e o Lindelof...



Sem comentários:

Enviar um comentário

Partilha aqui a tua opinião