Páginas


Luisão - Vinte Títulos! (and counting...)

Se todas as batalhas da

"SE TODAS AS BATALHAS DA HUMANIDADE SE TRAVASSEM APENAS NOS CAMPOS DE FUTEBOL, QUÃO BELAS SERIAM AS GUERRAS!" (Augusto Branco)

quarta-feira, 15 de junho de 2016

O EURO 2016 (parte II)


Ao quinto dia de jogos a nota dominante continua a ser o equilíbrio. Apenas três das primeiras doze partidas terminaram com diferença superior a um golo (2-0 nos três casos). Para além do francês Payet, já referido, destaco também as exibições de Modric pela Croácia e Éder pela Itália.



O empate de Portugal não é dramático em termos de apuramento, mas revela algumas dificuldades já esperadas: a incapacidade de fixar o jogo ofensivo devido à ausência de ponta-de-lança, a missão de sacrifício a que ficam sujeitos os avançados (Ronaldo e Nani), passando muito tempo sem bola, tendo que saltar com os centrais e correr atrás dos defesas. Ontem verificou-se também um preocupante desacerto defensivo, não apenas no golo sofrido. O que achei mais estranho foi a nítida quebra de rendimento da primeira para a segunda parte. Estará relacionada com a incapacidade do Moutinho ser omnipresente, como nos habituou, ao longo da sua carreira?
Certamente ocorrerão alterações na equipa para Sábado, frente à Áustria. Aceitam-se sugestões! Deixa o teu "onze" na caixa de comentários.

Registo ainda para a Alemanha e para a Itália, na minha opinião, as equipas mais fortes no momento em que todas as vinte e quatro já realizaram um jogo. Na Alemanha, apreciei a utilização de Mario Goetze como falso ponta-de-lança, baixando muitas vezes para a posição "10", abrindo espaço para a entrada de Thomas Mueller no espaço "9", saindo da direita.
Também gostei da demonstração de poder italiano, com três centrais afinadíssimos, cinco médios todo-o-terreno e dois avançados muito móveis. Impressionante o Éder - joga como o Jonas, corre como o Lima!

O Euro 2016 está a ser bom e o melhor está para vir! Bons Jogos!


2 comentários:

  1. Eu tirava oMoutinho e colocava o Renato para haver mais rasgo. Trocava o Nani peloQuaresma e o Danilo pelo William

    ResponderEliminar
  2. Concordo, Teresa!

    E ainda tirava o Pepe - comete demasiados erros - e colocava o Fonte, mais seguro e concentrado.

    ResponderEliminar

Partilha aqui a tua opinião