Páginas


Luisão - Vinte Títulos! (and counting...)

Se todas as batalhas da

"SE TODAS AS BATALHAS DA HUMANIDADE SE TRAVASSEM APENAS NOS CAMPOS DE FUTEBOL, QUÃO BELAS SERIAM AS GUERRAS!" (Augusto Branco)

quinta-feira, 23 de junho de 2016

O EURO 2016 (parte III)

Irlanda do Norte
País de Gales 










Terminada a fase de grupos verificamos que as equipas apuradas para os oitavos de final validam a ideia de incluir vinte e quatro selecções na fase final do Euro. Ao contrário do que previra, não notei mais preocupações defensivas que o habitual por causa do apuramento dos terceiros classificados. Ainda bem.  O equilíbrio foi a nota dominante e gerou algumas surpresas e meias-surpresas:
País de Gales apurado em primeiro lugar num grupo com Inglaterra e Rússia (a grande decepção do torneio); Irlanda do Norte apurada, superiorizando-se à Ucrânia; Croácia em primeiro no grupo da Espanha; e no nosso grupo Hungria e Islândia nos primeiros lugares com Portugal repescado nos "menos maus" terceiros.

Os oitavos prometem. Desde logo uma final antecipada com um Itália-Espanha. Aposto na Itália. A certeza de que País de Gales ou Irlanda do Norte chegarão aos quartos-de-final. Também a Suiça ou a Polónia lá chegarão. França, Alemanha e Inglaterra são claros favoritos e será um escândalo se não passarem. Antevejo maior equilíbrio no Hungria-Bélgica e no Croácia-Portugal.

À nossa Selecção não falta atitude nem empenho dos jogadores. Falta organização e sobra ansiedade. Em níveis razoáveis, a ansiedade é uma boa ajuda, facilita a concentração e garante a entrega ao jogo. Mas quando excessiva, como me parece ser o caso, perturba o discernimento e complica as mais simples acções técnicas como a recepção da bola e o passe curto. Temos visto os nossos jogadores cometerem demasiados erros não-forçados.
A desorganização táctica resulta de vários equívocos no plano de jogo. Temos um meio campo bom de bola, mas abusa-se dos passes longos a partir da defesa. Vemos dois ou três jogadores a pressionar alto e o resto da equipa "escondida" lá atrás. A distância entre linhas é muito grande e, por demasiadas vezes, parece que cada jogador está a jogar o "seu" jogo.
O talento é óbvio, o empenho dos jogadores também me parece evidente, mas o conjunto não está a funcionar. O Fernando Santos ainda não encontrou o melhor onze, mas nós podemos ajudá-lo. Deixa aqui a tua sugestão!

A minha é:
Patrício, Vieirinha, Fonte, Carvalho e Guerreiro. Adrien, João Mário, Renato e Rafa. Ronaldo e Nani.







Sem comentários:

Enviar um comentário

Partilha aqui a tua opinião