Páginas


Luisão - Vinte Títulos! (and counting...)

Se todas as batalhas da

"SE TODAS AS BATALHAS DA HUMANIDADE SE TRAVASSEM APENAS NOS CAMPOS DE FUTEBOL, QUÃO BELAS SERIAM AS GUERRAS!" (Augusto Branco)

terça-feira, 20 de setembro de 2016

BELA JORNADA (I)





Belas jornadas estas em que nós somamos os três pontos e os nossos adversários directos não! Espero repetir este título várias vezes ao longo da época.

Obviamente, não vamos "embandeirar em arco" pela liderança à quinta jornada. Isso é para os outros. Mas parece-me bastante animador alcançarmos esta posição com jogadores tão importantes fora da equipa, nomeadamente Jonas e Rafa. 

Nitidamente, ainda temos muito para melhorar. E assim será, não só pela inclusão de elementos de grande qualidade que têm estado lesionados, mas também em termos colectivos o entrosamento e a ligação de sectores deverá evoluir para níveis superiores ao que temos visto.

O jogo de ontem esteve longe de ser perfeito. Claro que não se esperava tarefa fácil, pois defrontámos uma boa equipa com bons jogadores num duelo que já tem o estatuto de clássico no séc. XXI.

Voltei a gostar da nossa organização ofensiva, com boa construção e circulação, variação dos ataques pelos três corredores e criação de várias oportunidades de golo. 

Mas sem bola precisamos de ser mais determinados e agressivos. Por demasiadas vezes, concedemos tempo e espaço ao adversário portador da bola para organizar o jogo e lançar os seus colegas. 

No jogo de ontem, os meus destaques individuais vão para Grimaldo, Fejsa, Pizzi e, claro, MITROGOLO.

O defesa espanhol cresce de jogo para jogo. Ele que é pequenote, agiganta-se nos duelos. Não é apenas o típico lateral ofensivo com grande técnica e alta velocidade. É também um defesa muito concentrado, cada vez mais esperto no posicionamento e mais forte no desarme. A sua superior qualidade técnica permite-lhe resolver situações difíceis com aparente facilidade.

O monstro sérvio (apesar de erro clamoroso aos 3 ou 4 min.) continua a "agarrar" a equipa e a encher o meio-campo. Fortíssimo na destruição e clarividente na construção.

Pizzi, nem sempre devidamente apreciado pelo Terceiro Anel, foi decisivo nos três golos. Marcou e assistiu. Jogou na esquerda e na direita. Equilibrou a nossa equipa e provocou desequilíbrios ao adversário.

O regresso do já mítico grego foi carimbado com golos, pois claro! Faz toda a diferença dispormos de um avançado Senhor da grande área e que nunca se esquece onde fica a baliza.

Três belíssimos pontos! Tónico importante para a difícil deslocação a Trás-os-Montes, onde esperamos que não se concretize o adágio que avisa que "para lá do Marão, mandam os que lá estão...". O recém-promovido Chaves, é neste momento e a par do Benfica, a única equipa sem derrotas na Liga.

O comentário a esta BELA JORNADA não ficaria completo sem uma breve referência aos jogos dos nossos adversários directos.

O empate do Porto em Tondela confirma uma equipa sem chama, com défice de criatividade e velocidade. Algo de substancial terá de acontecer para que o Espírito Santo possa materializar o seu inócuo "Somos Porto!" 

Em Vila do Conde, um excelente Rio Ave arrasou um ressacado Sporting, ainda ébrio do esplendoroso partido en Mádride. Entiendes?

Gostaria ainda de chamar a vossa atenção para o Gil Dias, extremo esquerdino (ou ambidextro?) dos vilacondenses que jogou pela direita a vir para dentro e destruiu a defesa do Sporting. Tem técnica, força e inteligência. Justifica mais observações.




Sem comentários:

Enviar um comentário

Partilha aqui a tua opinião