Páginas


Luisão - Vinte Títulos! (and counting...)

Se todas as batalhas da

"SE TODAS AS BATALHAS DA HUMANIDADE SE TRAVASSEM APENAS NOS CAMPOS DE FUTEBOL, QUÃO BELAS SERIAM AS GUERRAS!" (Augusto Branco)

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

O TRICAMPEÃO RESPONDE À PRESSÃO





Boa resposta do Tricampeão a este momento de pressão. A vitória clara e tranquila do Benfica sobre o Nacional, além de nos permitir somar os obrigatórios três pontos e manter o primeiro lugar, também serviu para afastar os fantasmas que procuravam assombrar a Luz.

A fraca oposição do Nacional - que me parece ser, pelo menos nesta fase, a equipa mais fraca da Liga - e o golo marcado aos 26' ajudaram a dissipar o nervosismo, natural, que se fez sentir nos primeiros minutos. 

Acabámos por fazer um jogo próximo do nosso habitual. Aparentemente, os nossos jogadores terão levado o guião certo para o relvado. Boa circulação de bola, com variação do jogo ofensivo e exploração das diversas zonas de ataque à baliza adversária. Controlámos sempre o jogo e não concedemos nenhuma oportunidade de golo ao Nacional. Quando assim é, mais cedo ou mais tarde acabamos por marcar. 

E foi o que aconteceu aos 26', com o Jonas a responder com cabeça a um excelente cruzamento do Zivkovic. Aos 35', novamente o Jonas num belíssimo remate em arco com o pé esquerdo. O Pistolas foge para a direita, combina com o Nelson que ocupara o corredor central, flecte para dentro e lá vai disto! Grande golo!

Com dois zero ao intervalo estava mais de meio caminho andado para selarmos a vitória. Na segunda parte não arrasámos, mas controlámos. Nunca permitimos que o Nacional criasse perigo, demos descanso ao Pizzi e estreámos o Filipe Augusto. Fechámos a contagem - bonita e redonda - com o três zero aos 81', numa bela jogada entre o Jonas, o Rafa e o Mitroglou.



O destaque individual vai obviamente para o Jonas, pelos dois golos marcados e participação no terceiro. Apresentou-se mais solto e em melhor condição física, o nosso craque.

Outros aspectos do nosso jogo de ontem que também merecem destaque pela positiva:

Boa reacção à perda de bola e acerto defensivo.
Bom jogo do Eliseu, permitindo maior fluidez na saída de bola ao longo do corredor esquerdo. 
Bom jogo do Pizzi, que parece recuperar da quebra de forma que lhe notámos. 
Muito bom jogo do Zivkovic, que se mostra já bem identificado com as ideias da equipa e coloca, de forma cada vez mais eficiente, o seu enorme talento ao serviço do colectivo.
Boa entrada do Rafa. Muito bem a desmarcar-se para receber o passe do Jonas e assistir o Mitro no terceiro golo.
Bons apontamentos na estreia do Filipe Augusto, principalmente no passe. O facto de se ter estreado com tão pouco tempo de trabalho indicia que o Rui Vitória vê nele uma verdadeira alternativa.

Conforme bem sabemos, ainda que por momentos tivéssemos a ilusão do contrário, o nosso Campeonato é longo e difícil. Será uma luta renhida até ao fim, novamente só com o Porto, como tem sido habitual nesta década.

Agora é repetir a receita com o Arouca, na sexta-feira.




Sem comentários:

Enviar um comentário

Partilha aqui a tua opinião