Páginas


Luisão - Vinte Títulos! (and counting...)

Se todas as batalhas da

"SE TODAS AS BATALHAS DA HUMANIDADE SE TRAVASSEM APENAS NOS CAMPOS DE FUTEBOL, QUÃO BELAS SERIAM AS GUERRAS!" (Augusto Branco)

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

BOM COMEÇO PARA TERMINAR


Benfica 1 - Paços de Ferreira 0


Começámos muito bem a nossa participação na décima edição da Taça da Liga, competição em que buscamos a nossa oitava (!) conquista. Terminámos muito bem o ano de 2016, alcançando a quadragésima quarta vitória em cinquenta e quatro jogos! 

Os records de resultados num ano civil são mera curiosidade cronológica, pois o calendário que interessa é o das competições. Em todo o caso, uma série de 44 vitórias em 54 jogos é um feito absolutamente notável, independentemente das datas de início e fim. 

O JOGO
Gostei muito da nossa primeira parte. É verdade que não criámos muitas situações de golo, mas tivemos muita posse no meio-campo adversário, fizemos uma circulação bem fluída e reagimos sempre bem à perda de bola. Quando assim é, ficamos muito perto de marcar e muito longe de sofrer. Nos primeiros 45', o Ederson passou boa parte do tempo junto à linha de meio-campo para ver melhor o que os colegas andavam a fazer lá à frente. Por vezes, baixava até à sua área para escutar atentamente os novos cânticos dos No Name. Percebemos que não tinha ido mais cedo para o reveillon, quando aos 81' segurou com estilo uma bola rematada à sua figura.

Na segunda parte, baixámos o ritmo e fizemos bem algo que eu pedi há algumas semanas - defender com bola. Uma vantagem mínima no marcador comporta sempre risco, mas ontem foi diminuto. Apesar de alguma posse nos últimos 10', o Paços nunca criou perigo. Esta forma de jogar não será espectacular, mas demonstra uma inteligência competitiva que nos será muito útil em futuros confrontos. Há quem se chateie de ganhar assim. Eu não.

De resto, a seriedade com que os nossos jogadores enfrentam cada adversário e cada competição tem sido simplesmente inatacável.



FEJSA - Com ele, a bola é sempre nossa

















OS JOGADORES
A meia-surpresa desta vez foi a inclusão do Celis no onze inicial, não exactamente no lugar do castigado Pizzi. O colombiano jogou de perfil com o Fejsa, em duplo-pivot. Esteve bem nas tarefas defensivas, no seu estilo bulldozer. Fez um bom remate com o pé esquerdo, aos 7'. Na construção e organização de jogo não contribuiu com nada de especial. A sua utilização como "segundo 6" poderá ser uma solução para certos jogos mais complicados ou para segurar vantagens. Por enquanto, ainda não me convenceu que tem valor para acrescentar à equipa.

A utilização de dois médios posicionais, como foi ontem o caso de Fejsa e Celis, pode permitir uma melhor cobertura às movimentações do quarteto avançado. O Rafa, o Guedes, o Cervi e o Raúl não pararam quietos e as suas constantes trocas de posição fazem cada vez mais sentido. 
O aumento do entrosamento do Rafa com os companheiros de ataque é evidente, com a baliza é que ainda não. Recomendo-lhe treino técnico de finalização no 360S e treino mental com o Mitroglou, que é um tipo cool
As movimentações do Raúl são agora mais assertivas e as combinações em apoio frontal resultam mais frequentemente. 
O Gonçalo parece ter perdido algum do discernimento que vinha mostrando e, apesar de um bom remate, optou (três vezes?) por rematar quando devia ter passado. Estará ansioso por marcar? Veja lá isso, mister.



CERVI - Autor do golo, aos 39' 















Destaque para o Cervi - a melhor primeira época de que me recordo, para jogadores em estreia europeia, no Benfica. O "boneco diabólico" marcou nas cinco competições em que participou nestes cinco meses. Para além duma qualidade técnica diferenciada, impressiona pela sua enorme garra e infinita disponibilidade.

Lá atrás, o Luisão esteve seguro e atento como habitualmente. O Nelson continua a evidenciar uma excelente forma física e a mostrar evolução nas competências defensivas. O André cumpriu e teve boa participação no golo. O Jardel voltou como se não tivesse estado fora. Para o Fejsa, não há jogos a meio-gás e limpou tudo o que havia para limpar.

O Jonas somou mais minutos e deliciou-nos com alguns apontamentos de classe. Este artista ilumina a Luz e faz os colegas brilhar. Assenta-lhe bem o Dez nas costas. Saudação especial para o regresso do André Horta. Tem um toque de bola que dá gosto ver e grande atitude competitiva. É mesmo jogador à Benfica, este puto Benfiquista!





Aos amigos e leitores que acompanham o CHAMA QUE ANIMA desejo um excelente ano de 2017, com muita Saúde e Alegria!
Ao nosso Benfica, desejo que continue assim. A ganhar, a ganhar e a GANHAR!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Partilha aqui a tua opinião